theme©

»
“Você diz sempre que me ama, mas não age como tal…”
— CBJr ( c-o-n-t-r-a-r-i-a-d-a )


quero um abraço daqueles que sufocam


“Mania minha achar que alguém se importa de verdade comigo a ponto de abrir mão de algo para me dar um abraço.”
O menino Charlie. (via relevoar)

“Faça-me uma pergunta”

“Eu era um daqueles livros de capa feia, com o conteúdo bagunçado e meio confuso. Um livro do qual ninguém se atrevera a ler.”
Guilherme    (via umjovememcrise)

“Ele te irrita, né? O cara com mais defeitos que você já conheceu, faz tudo errado. Só sabe implicar contigo e é o dia todo nessa troca de críticas. Você fica brava, mas depois ri, porque ele é tão bobo. E você sabe que adora essa coisa de vocês se elogiarem ao contrário, teus “Seu idiota” são uma declaração, acha que me engana? Aí você sorri, desarmada, depois de alguma gracinha dele e quando percebe ele tá olhando fixo, quase hipnotizado. Ele disfarça e solta o tradicional “Chata”, que não engana mais ninguém. Interessante o amor fantasiado de ódio, não acha? Fica mais bonito, mais feliz, menos monótono. Quando as coisas começam a desandar e você precisa de um colo, é pra ele que você corre, eu sei. E ele te abraça forte, te ver assim tão frágil é uma tortura. E te provoca só pra você sorrir outra vez, daquele jeito lindo e não é que era disso que você precisava? Ele nunca sabe o que tem que fazer, mas sempre acaba fazendo tudo certo, da forma mais torta possível. Você ama tudo isso, essa falta de jeito, não adianta negar, já era. Seu amigo, seu idiota, seu. Te irrita, né? É tudo que você tem a dizer? Entendi, depois me conta o fim dessa sua história de amor.”
Marcella Fernanda (via postumizada)

“Sei lá, nem sei por onde começar. Sabe quando você tem uma necessidade imensa de ter aquela pessoa com você e naquele momento? Então, eu sinto isso todos os dias em momentos diferentes. Sempre que acontece alguma coisa eu tenho que correr e te contar, compartilhar minha felicidade com você e ver você comemorando comigo, mesmo de longe. E você também é assim, me conta suas tristezas, suas alegrias, suas bobeiras… Nós temos uma imensa confiança um no outro, de contar segredos, de conversar bobeiras, de desabafar, de tudo. Eu preciso conversar com você todos os dias pra poder ficar bem, odeio brigar com você. Odeio (mentira, não odeio, é charme) quando você fica me fazendo ciúmes só pra me ver irritadinha e falar que eu fico linda quando estou com raiva, mesmo eu discordando. Eu ainda não acredito que você fez com que eu pudesse gostar de você de novo e de uma forma diferente e confiar em alguém de novo, desse jeito que eu confio em você. Eu sinceramente não sei se fico feliz com isso ou se, sei lá, pode não ser bom confiar tanto assim em alguém, mas acho que com você é diferente, eu sei o que você sente e sei o que eu sinto. Com você é tudo mais tranquilo, me sinto bem mais confiante em mim, em você e em nós.”
Mariana Amorim (via p-azebem)

Há 11 meses38 notasreblog this post
© p-azebem • reblogged from p-azebem
“Se eu perdoaria uma traição? Claro! Meu coração é nobre e sempre há perdão nele. Eu diria: “Amor, eu te perdoo”. Depois juntaria minhas coisas e nunca mais apareceria, mas eu perdoei, tá? Acho que não existe nada pior do que uma traição. Se dedicar, se entregar, amar a alguém e esse alguém te trair. “A carne é fraca”, justifica. A carne é fraca, mas eu sou forte e não mereço alguém assim do meu lado. Tudo bem que há os modernos que vivem em relacionamentos abertos. Se eu acredito em relacionamento aberto? Acredito! Relacionamento aberto, aberto ao fracasso, aberto ao fim, aberto a mágoa, aberto a toda falta de reciprocidade e dignidade sentimental que se possa imaginar. Afinal, o que é mesmo amar? É escolher uma pessoa entre milhões de espécies disponíveis no mundo e elegê-la ao cargo máximo de estar única e exclusivamente ao seu lado. Se é pra ficar comigo e com mais todo mundo que aparecer na reta, eu prefiro ficar só! Em uma traição não importam os motivos de quem traiu, mas a dor de quem foi traído.”
— Tati Bernardi (via pa-re-ci-a-es-tar)

“Pra que cometer velhos erros se há tantos novos erros a serem cometidos ?”
— (via brennaeduarda)

A gente pode morar numa casa mais ou menos, numa rua mais ou menos, numa cidade mais ou menos, e até ter um governo mais ou menos.
A gente pode dormir numa cama mais ou menos, comer um feijão mais ou menos, ter um transporte mais ou menos, e até ser obrigado a acreditar mais ou menos no futuro.
A gente pode olhar em volta e sentir que tudo está mais ou menos…

TUDO BEM!

O que a gente não pode mesmo, nunca, de jeito nenhum… é amar mais ou menos, sonhar mais ou menos, ser amigo mais ou menos, namorar mais ou menos, ter fé mais ou menos, e acreditar mais ou menos.

Senão a gente corre o risco de se tornar uma pessoa mais ou menos.

— (via lele-junqueira)

“O nosso ”para sempre” significou até você achar alguém melhor que eu”
— MR (via gypsydisguised)

“Só seu travesseiro sabe ….daquelas lagrimas , né ?”
— MR (via gypsydisguised)

“O maior problema em acreditar nas pessoas erradas, é que um dia você acaba não acreditando em mais ninguém.”
— Desconhecido (via pa-re-ci-a-es-tar)